Asma infantil – Uma patologoia frequente

Asma infantil – Uma patologoia frequente

Na infância, a asma é a doença crónica que mais frequentemente motiva idas ao Serviço de Urgência. Em Portugal um terço das crianças com asma é internada pelo menos uma vez na vida por agudização da asma e em média cada criança com asma recorre ao Serviço de Urgência uma a duas vezes por ano e falta à escola seis dias por ano, daí ser o tema a abordar hoje.

De acordo com os dados do Inquérito Nacional de Prevalência da Asma em 2010, a asma afeta cerca de 7% da população portuguesa (700 mil portugueses com asma em que 175 000 são crianças e adolescentes). Estima-se que apenas 57% dos asmáticos tem a sua doença controlada e calcula-se que cerca de 300 000 portugueses necessitam de melhor intervenção para o controlo da doença. Aproximadamente 60% dos asmáticos tem limita-ção da sua atividade física por causa da sua asma.

A asma é uma doença inflamatória crónica dos brônquios que leva à dificuldade da pas-sagem do ar. Manifesta-se por crises de tosse, pieira, falta de ar (dispneia) e ou pressão no peito (bloqueio torácico. É uma doença que não tem cura, mas que se pode controlar com tratamento e medidas de prevenção ambiental.

Para tal, um diagnóstico precoce é essencial. Para além do controlo das manifestações em situações de crise, importa conhecer os fatores de agravamento para cada pessoa e as me-didas de prevenção mais adequadas a cada caso, com vista a promover uma gestão ade-quada da doença e uma maior qualidade de vida, desde cedo.

As manifestações da doença podem ser desencadeadas ou agravadas por circunstâncias do dia a dia ou por agentes ambientais, perfeitamente inofensivos para a maioria das pessoas, mas que sensibilizam o organismo de uma pessoa com asma. É o caso dos chamados alergénios, substâncias que estão na origem de reações alérgicas – o pólen das flores, ár-vores e arbustos, os ácaros do pó, o pelo de animais, alguns alimentos e certos medica-mentos.


A estes fatores juntam-se outros como:

  • O exercício físico;
  • As mudanças bruscas de temperatura;
  • O fumo (principalmente do tabaco e da lenha a queimar);
  • A poluição;
  • As infeções respiratórias virais (como a gripe);
  • Em algumas pessoas, até as emoções fortes (quando dão origem a riso ou choro);

  • Qualquer um destes elementos pode ser o gatilho que faz desencadear uma crise de asma, onde a dificuldade em respirar é o fator comum. Normalmente, as crises manifestam-se de forma lenta e progressiva, dando tempo para agir, mas algumas podem pôr a vida em risco se não for realizada uma intervenção rápida.


    Se tem dúvidas que quer ver esclarecidas acerca deste tema, a nossa Farmácia e o seu Far-macêutico cá está para o ajudar!


    Artur Pinhão

    Fevereiro 2020