Otite externa – Como evitá-la sem deixar de mergulhar!

Otite externa – Como evitá-la sem deixar de mergulhar!

Otite externa | Problemas de Ouvidos

Na época da praia, o efeito das inalações de água do mar, dos mergulhos no mar e na piscina, são condições benéficas para as recorrentes otites externas, resultantes da entrada e retenção de água no canal auditivo, sendo esse o nosso tema de hoje.

A otite externa é mais frequentemente causada pela infecção por bactérias e fungos. Na maior parte das vezes, eles penetram através de lesões na pele que recobre o conduto auditivo externo provocadas por objectos (cotonetes, grampos, por exemplo), por atritos ao coçar ou secar o ouvido e pelo contacto com água contaminada (mar, piscina, banhos).

O contacto frequente com a água pode facilitar a remoção da cera que serve de protecção para o canal auditivo. Por isso, a otite externa também é conhecida como otite dos nadadores.

Ocorre uma dor intensa e diminuição da audição. Em alguns casos, podem aparecer secreção e comichão.

Causas

Embora as causas de uma possível inflamação sejam diversas, a otite externa é quase sempre provocada por uma infecção causada por microrganismos provenientes do exterior. Os microrganismos que provocam o processo infeccioso são, na maioria dos casos, bactérias como a Pseudomonas aeruginosae o Staphylococcus aureus, mas também se pode tratar de fungos, normalmente a Candida albicans.

Em geral, a otite surge quando, por algum motivo, falham os mecanismos de defesa locais. Em condições normais, a pele do canal auditivo externo mantém-se íntegra e dispõe de uma determinada quantidade de cerúmen que a protege. No entanto, várias circunstâncias podem alterar estas barreiras defensivas e favorecer, assim, uma infecção do canal auditivo externo, como é o caso das pequenas lesões que resultam de se tentar coçar ou retirar o cerúmen ou a utilização de cosméticos com substâncias demasiado irritantes.

Também é prejudicial a exposição excessiva à humidade, sobretudo a penetração de água; de facto, este problema é bastante comum em pessoas que tomam frequentemente banho em piscinas ou na praia, pelo que se fala muitas vezes em “otite do nadador”: a maceração da pele do canal auditivo externo provocada pelo contacto prolongado com a água cria condições favoráveis a uma infecção.

Proteja-se da otite externa:

  • Mantenha os seus ouvidos secos: durante o banho evite que água ou champô entrem nos ouvidos e use uma touca de banho se optar por não lavar a cabeça;
  • Evite o uso de cotonetes ou de algodão para limpar os ouvidos;
  • Limpe cuidadosamente, com uma toalha, a orelha e a entrada do canal auditivo;
  • Se praticar natação ou outros desportos aquáticos use tampões macios e impermeáveis, disponíveis na Farmácia. 

Como lidar com o cerúmen (cera nos ouvidos)

O cerúmen é saudável e bom para os ouvidos. Mas, quando a sua produção é em excesso, muito provavelmente por insuficientes cuidados e limpeza, pode causar obstrução e diminuir temporariamente a audição.

A prevenção da acumulação de cera nos ouvidos é algo que exige cuidados de limpeza permanentes.

Não esquecer:

  • Não utilize nenhum objeto para remover o cerúmen do canal auditivo externo, incluindo o dedo e o cotonete (este deve ser usado apenas para limpeza da parte de fora do ouvido)
  • A Farmácia tem produtos próprios para amolecer o cerúmen e facilitar a sua remoção do ouvido, consulte-nos, caso necessário.

 A nossa Farmácia estará sempre ao seu dipor para, a qualquer hora, o ajudar neste com este problema que é incomadativo e bastante frequente. Não deixe de nos consultar!

Artur Pinhão

Agosto 2019